F. Paneque, artista plástico

o artista desenvolve uma linha peculiar de criação, desafia as categorizações e rompe com a falsificação da natureza para criar a sua imagem pictórica. Seus trabalhos, de modo geral, são abstratos que se dividem entre biomorfismo, minimalismo e expressionismo.

Série VESTIGIUM

composições biomórficas que prestam-se perfeitamente ao ímpeto surrealista de retratar o inconsciente através da arte automática do fluxo de consciência. Ao permitir que o meio e o material da arte informem um fluxo intuitivo de expressão, o artista cria uma conexão entre o espectador e seu próprio espírito interior – uma ponte artística entre o subconsciente humano e a realidade. Artistas biomórficos acreditam que o processo intuitivo de abstração orgânica na arte é um veículo essencial, através do qual se poderia chegar às grandes verdades elementares da existência, fortalecer suas próprias aspirações espirituais e revelar suas visões.

Série Garden Nymphs

Um dos fundamentos que emprestamos à composição abstrata expressionista é a dualidade do caos – harmonia. Essa dualidade serve de pano de fundo e muitas vezes desejamos torná-la uma representação do subconsciente do qual emerge um único elemento heráldico, que ocupa o centro do palco. Um elemento que carrega dentro de si uma síntese reveladora que surpreende o ser, mas também o reconcilia com tudo o que até agora considerava ininteligível. Existir não é entender o que existe; Existir é emprestar uma interpretação pessoal ao que nos rodeia e nos envolve. Este é o conceito diretor que F. Paneque aplica em suas composições expressionistas.

%d bloggers like this: